quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O MEIO AMBIENTE DO "SER HUMANO"

MEIO AMBIENTE

Numa análise formal, ambiente é o espaço que ocupamos e ou desfrutamos para a nossa vivência, alimentação, descanso e refúgio.
Essa análise vale também para o planeta, que está nos dando as condições mínimas e o sustento para que a vida se desenrole de uma forma ampla em todos os sentidos biótico e abiótica, ao qual nos acostumamos desfrutar e que ao longo dos tempos vem perdendo sua vitalidade, causada por fatores internos e externos, que muitas vezes ignoramos, como se a vida deste “magnífico” estivesse sob nosso controle.
Muitos “fanfareiros” de plantão, não perdem tempo em achar culpado (s) para as mais diferentes situações que acorrem em nosso planeta.
Creio que deveríamos parar para uma análise um pouco mais científica ponderando sobre alguns pontos:
1º - O planeta terra assim como os demais astros do sistema solar estão em constante “metamorfose” por estarem diretamente ligados ou dependentes do astro “rei” de onde emana toda energia que faz a vida acontecer em abundância sobre o nosso planeta. (Os índios não adoravam o sol por nada, pois, já sabiam que era o responsável direto pela vida.)
2° - A terra, como todo sistema solar, está em constante resfriamento desde o seu surgimento a bilhões de anos “lembram da Prof da quarta série que dizia ‘então choveu e a terra foi esfriando, esfriando até que a vida se tornou possível, ai apareceu o homem’” (isto ainda vale) e ela continua esfriando, enquanto o sol vai perdendo sua capacidade calorífica.
3° - O que o homem é capaz de fazer na verdade é acelerar um processo eterno de mudanças, Aquecendo (lê-se aquecimento global) em uma fração de tempo do universo, com as emissões de gases capazes de momentaneamente e dar a impressão que o planeta está em nossas mãos.
4° - O planeta terra está em rota de uma “era de glaciação” eminente, em sua tendência natural, longe do nosso controle, que se iniciou ao término da última era que “extinguiu os dinissauros”.
Ora será que podemos conversar agora de quem somos, sobre o planeta?
Meros ocupantes de um espaço que se abriu com a formação do gás oxigênio, assim como, tantos outros seres e que tem grande capacidade de metamorfose e adaptabilidade, bem diferente de nós, que ao primeiro raio de radiação solar temos que nos proteger por não termos mais as capacidades naturais de proteção por causa da nossa miscigenação, e a cada troca de estação nos sentimos “como fora do nosso espaço”.
Por que não migramos?
Nossos ancestrais migravam de acordo com o alimento disponível e as estações, mas, evoluímos e esquecemos do “social”, nos tornamos donos de pedaços e espaços, aos quais defendemos com unhas e dentes. Por que não levar uma vida cigana, e viver a vida, será que o destino da humanidade como nós chamamos a nossa espécie é de se auto destruir? Por que não conseguimos controlar nossa espécie, adaptando-os ao alimento e condições disponíveis? Assim como fazem diversos tipos de animais? Que, quando a população da espécie aumenta demasiadamente tomam decisões coletivas de suicídio para que não falte alimento para a manutenção e sobrevivência da espécie?
Cada vez mais a terra vai se tornar inóspita, e nós teremos que nos adaptar a ela e não ela a nós. Ao esfriar a terra vai tendo mudanças drásticas e as espécies vão se extinguido por não mais se adaptarem aos novos tempos do planeta. Todos os dias dezenas de espécies deixam de existir e novas vão aparecendo e se modificando de forma tal que vivam e convivam com os demais sobre o planeta.
Dentro desta visão, somos seres em extinção pelas mudanças climáticas, ou por nossa auto-extinção, por armas que fabricamos em nome da boa convivência e status do poder, que exercemos sobre os demais seres, por termos algo chamado “razão” que, deveria ser usado para o bem comum.
O que seria essa participação no aquecimento global?
Em troca da ganância o homem desenvolveu tantas coisas sem utilidade “supérfluos” que precisou montar grandes redes industriais para atender a demanda dos tais, e esqueceu que deveria cuidar de si e do seu bem estar, cuidando o planeta para que pudéssemos desfrutar o máximo que ele nos oferece.
Num estudo de ecologia, o meio ambiente inclui todos os fatores que afetam diretamente o metabolismo ou o comportamento dos ser vivo ou de espécies incluindo a luz o ar a água o solo e a radiação.
A vida depende destes últimos, chamados de meio abiótico, que é constituído de forças entre si e que interferem diretamente sobre a vida das comunidades. Para citar exemplos podemos ver os diferentes tipos de correntes de ar que levam e trazem as nuvens carregadas de água, onde os ventos trazem vida, outros onde os ventos destroem ou ainda mudam paisagens (desertos).
A temperaturas a limpidez a composição química e a correntezas das águas moldam os rios, as pedras dão forma ao leito e a vida nela existente. Este é o grupo de fatores muito importante que podemos chamar de “tempo”.
Ele atua sobre os seres vivos e os destituídos de vida, influenciados pela chuva, geada, neve, temperatura quente ou fria, umidade do ar, ventos e tantos outros. Grande quantidade de animais e plantas morrem por causa do tempo.
Outro fator abiótico é o espaço e os nutrientes disponíveis para cada ser ou que cada espécie necessita para sobreviver, criando seres adaptados ou em via de desaparecimento.
O meio biótico que inclui; alimentos, plantas e animais e suas relações recíprocas. A vida e o bem estar de todos os seres depende de sua alimentação, e de sua associações com outros seres.
Os fatores culturais entre as espécies e a convivência em “comodato” criam a rede da vida. Alguns tão bem adaptados que, a milhares de anos continuam sobre o planeta com pequenas metamorfoses. Já o ser humano e seus fatores sociais e culturais influenciam sobre esse meio. Dotado de memória, raciocínio e uma comunicação avançada, são capazes de ensinar seu descendentes as heranças genéticas e culturais, possibilitando progressão avantajada sobre os outros seres, conhecido como evolução, tornando-nos individualista no meio.
Quando o meio é modificado, os organismos reagem dentando uma nova adaptação dentro de um meio herdado, nem sempre o suficiente, causando a morte das comunidades atingidas ou dispersadas com a troca para outros ambientes.(exemplo as barragens ou lagoas)
A vida animal e vegetal se locomovem para espaços mais apropriados e se readaptam ao meio hostil, alguns criando abrigos individuais (caramujos) ou formam colônias sociais (abelhas e formigas).
Assim podemos concluir que meio ambiente é:
Meio ambiente é o conjunto de forças e condições que cercam e influenciam os seres e as coisas em geral.
Os constituintes do meio ambiente compreendem fatores abióticos como o clima, a iluminação a pressão o teor de oxigênio e bióticos como as condições de alimentação, modo de vida em sociedade e para o homem educação, companhia, saúde e outros.
Em nosso exame de consciência devemos ter claro que parasitamos o planeta como todas as demais espécies, e sofreremos as mesmas conseqüências que os demais seres sofrem, talvez por antecipação por nós termos destruído o meio comum no qual nos desenvolvemos.
Talvez ainda seja tempo de pensarmos em dias melhores para aldeia global, destituindo-nos da ganância e freando nossa intuído destrutivo, colaborado para que mais vida acontece, com fartura de alimentos para os acupantes deste magnífico,
PLANETA TERRA
Este artigo refere-se aos aspetos ecológicos do meio ambiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário